Quanto vale o seu trabalho


O trabalho vale muito mais do que uma nota

Você já deve ter se perguntado quanto vale o seu trabalho, né? Essa é uma dúvida frequente entre as pessoas. Como quantificar o que faço. Seria por dia ou por hora?


Isso tudo sempre vai variar conforme o tipo de trabalho que você faz. É um trabalho manual, como artesanato ou pintura? É escrevendo textos ou revisando? Enfim, vai aparecer uma grande quantidade de trabalhos e perguntas.


Mas pense em você. Qual foi o tempo investido para adquirir uma habilidade? O quanto foi investido financeiramente? Você até vai achar "calculadoras" que conseguem quantificar isso, mas o que está por trás desses conceitos?


Vejamos, a seguir, algumas formas de pensar.


Como colocar preço em um trabalho?


Como foi dito, você encontra vários posts falando de como quantificar o seu trabalho, então vamos para uma conversa um pouco mais filosófica.


Qual é o tipo de trabalho que você desenvolve? É em algum lugar fora de casa ou no chamado trabalho home office?


Nesse caso, você vai ter que colocar as despesas do local junto, seja na casa ou fora dela. Acrescente, o material utilizado para a produção do trabalho.


Mas, aí você pode dizer: eu trabalho com produção de texto. Então, você coloca o investimento que você fez em estudos, cursos, livros, filmes, passeios… Sim, até o passeio entra na contagem. Com eles você refresca as ideias e tem inspirações.


Mesmo assim, tá difícil de contabilizar? Relaxa! A verdade é que não existe uma fórmula mágica. Tudo tem um valor, mas às vezes, ele acaba sendo subjetivo.


Você pode recorrer a tabelas, que podem dar um auxílio, mas se comparado a trabalhos de outras pessoas, o seu pode valer menos ou mais.


Entenda melhor a seguir!


Vale quanto pesa?


Vamos dar o exemplo de um quadro. Você pinta uma tela de 20 x 30 cm e coloca o preço de R$ 70,00. Você pode achar barato ou caro. Mas quem é você nessa história toda.


Para o mercado, os olhos estão voltados para quem tem um certo reconhecimento no meio. E quem atesta esse reconhecimento? Ele pode se dar de várias formas:

  • boca a boca;

  • através de outro artista;

  • um galerista;

  • a mídia.


E como se faz para chegar até esses meios? Se expondo. Sabe o famoso ditado "que não é visto, não é lembrado", é isso que acontece.


Pense nas pessoas, artistas, que você conhece e se pergunte porque você se lembra delas. Nos dias de hoje, é preciso saber um pouco de marketing digital para se comunicar com o seu público.


Assim como, saber usar as redes sociais para divulgar a sua marca, através do instagram ou de outra rede social da sua preferência.


Mas, uma coisa é certa. É preciso fazer relações sociais e interagir para que haja o conhecimento daquilo que você faz. Aí, com o tempo, você vai descobrindo esses valores.


Coloca um valor e vai sentido a receptividade. Converse com outros artistas ou outros empreendedores para se informar e ser parceiro, também. Existe uma certa competitividade, mas ela tem que ser criativa e benéfica para ambos os lados.


Não se limite e siga em frente. Se informe, pergunte!


Conheça mais o Instituto Dom através de nossas redes sociais. Veja como apoiamos microempreendedores menos favorecidos com capacitação, investimento social e assessoria na gestão.


Veja nosso canal YouTube e nossas redes sociais Instagram, LinkedIn e nosso Facebook.


Posts recentes

Ver tudo